Biblioteca Virtual

Dicas para Leitura

MARÇO/2017

Carol Rossetti, ilustradora e designer gráfico de Belo Horizonte, descobriu seu talento aos 4 anos de idade. Concilia seus projetos autorais de ilustração com o estúdio Café com Chocolate Design, criado por ela e três amigos. Os principais projetos autorais são o “Mulheres” e o “Cores”. Seu trabalho já foi traduzido para mais de 15 idiomas e suas ilustrações, divulgadas em veículos internacionais como CNN, Cosmopolitan e Huffington Post. Recentemente lançou o livro “Mulheres: retratos de respeito, amor-próprio, direitos e dignidade”, e ganhou destaque no Facebook Stories como exemplo de mulher atuante. O Dicas desse mês traz uma de suas ilustrações feitas para celebrar o dia Internacional da Mulher em 2016.

 

 

COMUNICAÇÃO SOCIAL

Marketing

ALMEIDA, Giovana Goretti Feijó de; ENGEL, Vonia. A cidade-mercadoria e o marketing urbano na (re)construção da imagem dos espaços públicos: o caso da marca da cidade do Rio de Janeiro. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais, Recife, v. 19, n. 1, p. 89-105, jan./abr. 2017. Disponível em: < http://rbeur.anpur.org.br/rbeur/article/view/5202/pdf>

O artigo apresenta a reflexão em torno do marketing urbano, evidenciando suas funções e aplicações na construção do conceito em espaços urbanos brasileiros, e das territorialidades adjacentes a esse processo, verificando as mensagens implícitas que esses territórios em particular estão transmitindo às pessoas. O estudo, de natureza qualitativa e de cunho exploratório, aborda algumas ações de marketing na cidade do Rio de Janeiro. A análise partiu da coleta de dados das imagens e ações estratégicas, de 2011 a 2015, da marca Rio de Janeiro e da verificação dessas imagens construídas mercadologicamente com os conceitos de cidade-mercadoria de Vainer (2002) e de empreendedorismo urbano de Harvey (2005). Os estudos apontaram para um marketing generalizado, principalmente nos planejamentos urbanos, transformando as cidades em mercadorias orientadas pelo poder do capital, retirando delas seu caráter de espaço de encontro e confronto entre cidadãos.

CONDIÇÕES DE VIDA

Políticas/Planos/Programas/Projetos/Pesquisas/Estudos

VECCHIO, Ângelo Del; DIÉGUEZ, Carla (Org.) As pesquisas sobre o padrão de vida dos trabalhadores da cidade de São Paulo: Horace Davis e Samuel Lowrie, pioneiros da sociologia aplicada no Brasil. São Paulo: Editora Sociologia e Política, 2008. 252 p.

<http://www.bibliotecavirtual.emplasa.sp.gov.br/documentos/dicas/2017/marco/pesquisas-sobre-o-padra-de-vida-dos-trabalhadores-da-cidade-de-sao-paulo.pdf>

Ao completar 75 anos de sua instituição, a Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo traz a público dois trabalhos pioneiros da pesquisa científica em Sociologia no Brasil. Fruto dos esforços de dois membros de seu corpo original de professores, Horace Davis e Samuel Lowrie, essas pesquisas são marco histórico do surgimento da sociologia aplicada no país. Trataram, pois, não só de compreender a condição de vida dos trabalhadores paulistanos, como também de oferecer subsídios ao estabelecimento do salário mínimo nacional. O livro reedita as pesquisas “Padrão de vida dos operários da cidade de São Paulo (1934)” e “Pesquisa de padrão de vida das famílias dos operários da Limpeza Pública da municipalidade de São Paulo (1938)” de DAVIS e LOWRIE, respectivamente.

ECONOMIA

Desigualdades Sociais

RAMÍREZ VELÁZQUEZ, Blanca Rebeca. Escalas de la planeación y vulnerabilidad territorial en México. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais, Recife, v. 19, n. 1, p. 179-191, jan./abr. 2017. Disponível em: <http://rbeur.anpur.org.br/rbeur/article/view/5462/pdf

Desde o final do século XX, o México tem experimentado um planejamento neoliberal considerável, baseado na redução da intervenção estatal em importantes setores da economia do país e no desmantelamento de instrumentos existentes. Neste artigo, argumenta-se que as políticas neoliberais impostas a diferentes escalas favoreceram um desenvolvimento frágil, dependente e, portanto, vulnerável da implantação de um novo modelo de desenvolvimento orientado para o futuro. Sob tais condições, se coloca em risco a possibilidade de reproduzir a base material produtiva do país e da reprodução social de grupos e territórios.

 

Regional

GOTARDO, Daiane Marani; STADUTO, Jeferson Andronio Ramundo. Polos e áreas de influência: uma proposta de regionalização econômica para o Estado do Paraná. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais, Recife, v. 19, n. 1, p. 106-124, jan./abr. 2017. Disponível em: <http://rbeur.anpur.org.br/rbeur/article/view/5214/pdf>

As diferenças entre as regiões paranaenses levam à produção de vários estudos regionais, que geralmente consideram a divisão do espaço estabelecida pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a qual se baseia em aspectos sociais, naturais e de articulação espacial. O presente estudo propõe uma regionalização para o Paraná em termos estritamente econômicos, que permita a coerência das análises, ações, medidas e usos dos instrumentos de política econômica sugeridos pelos planejadores regionais, bem como para uso nas estratégias empresarias. Essa regionalização é dimensionada a partir da identificação de polos econômicos e as áreas por eles polarizadas, e operacionalizada pelo Modelo Gravitacional.

INFORMAÇÃO

Ciência da Informação

RIBEIRO, Anna Carolina Mendonça Lemos; FERREIRA, Pedro Cavalcanti Gonçalvez. (Org.) Biblioteca do século XXI: desafios e perspectivas. Brasília: Ipea, 2017. 360 p. Disponível em: <http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/livros/livros/170105_biblioteca_do_seculo_21.pdf>

A publicação pretende proporcionar uma reflexão no âmbito da ciência da informação sobre o papel das bibliotecas no século XXI, especialmente daquelas de organizações públicas, as quais devem, a todo o momento, se repensar e se atualizar para conseguir cumprir com suas atribuições. Seus capítulos, assinados por pesquisadores de renome, representantes de diversas instituições nacionais e internacionais, reafirmam a importância da temática e a necessidade de se pensar constantemente sobre a qualificação dos serviços públicos.

MEIO FÍSICO

Climatologia

COMISSÃO ECONÔMICA PARA A AMÉRICA LATINA E O CARIBE; INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA; DEUTSCHE GESELLSCHAFT FÜR INTERNATIONALE ZUSAMMENARBEIT. Avaliação do Fundo Clima. Brasília: CEPAL, 2016. 112 p. Disponível em: <http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/livros/livros/170126_livro_s1601337_pt.pdf>

O relatório apresenta a avaliação do Fundo Nacional sobre Mudança do Clima - Fundo Clima, realizada por solicitação do Ministério do Meio Ambiente no âmbito do convênio de cooperação técnica com a Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal), referente ao Desenvolvimento Sustentável Brasileiro e sua Integração com a América do Sul. Os trabalhos foram realizados em parceria com o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada e a Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit – GIZ GmbH, entre março e dezembro de 2015. O principal objetivo foi avaliar o desempenho e a contribuição do Fundo Clima como instrumento da Política Nacional sobre Mudança do Clima (PNMC) no período entre 2011 e 2014, considerando seus aspectos positivos, suas limitações e as lições aprendidas. Os resultados poderão subsidiar o fortalecimento e o aperfeiçoamento desse desempenho. Além disso, espera-se que as recomendações feitas possam servir de linha de base para avaliações futuras.

POLÍTICA

Gestão Municipal

SANTOS, Angela Moulin S. Penalva. Política urbana pós-constitucional: a experiência do município do Rio de Janeiro. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais, Recife, v. 19, n. 1, p. 48-63, jan./abr. 2017. Disponível em: <http://rbeur.anpur.org.br/rbeur/article/view/5264/pdf>

O objetivo do artigo é refletir sobre as expectativas malogradas da política urbana brasileira, muito identificada com a regulação do uso do solo urbano. Parte-se da premissa de que a política urbana é a dimensão da política social que dá efetividade ao planejamento urbano. Assim, ela deve ser avaliada no contexto da Constituição de 1988, onde passa a interagir com outros direitos sociais. A pesquisa realizou entrevistas com urbanistas que atuaram no Município do Rio de Janeiro nas décadas de 1980, 1990 e 2000. As principais transformações na política urbana e os desafios enfrentados na sua gestão permitiram refletir sobre os rumos da política urbana brasileira.

 

Participação Comunitária

OLIVEIRA, Nilda Aparecida de; ARROYO, Victor Huerta; SILVA, Sergio Vital e. Protagonismo e participação em São Bernardo do Campo: olhares pelo caleidoscópio. São Bernardo do Campo, 2015, 320 p.

O Projeto Protagonismo e Participação em São Bernardo do Campo é uma iniciativa da Secretaria de Orçamento e Planejamento Participativo (SOPP), que trabalha os saberes da população, busca sua emergência e, a partir dela, a visibilidade da figura do cidadão como construtor de um futuro desejado de cidade. O livro registra os resultados de pesquisa e entrevistas realizadas em 2014, em que foram identificados os aspectos cotidianos da participação, assim como a diversidade de entendimentos que fazem desse conceito um patrimônio em construção e emancipador. Cada capítulo é uma estação de reflexão sobre comportamentos, valores, ética e democracia. A participação foi o objeto do trabalho, e o sujeito foi o protagonista.

REGIÕES METROPOLITANAS

Governança Metropolitana

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA. A implementação do Estatuto da Metrópole na Região Metropolitana de São Paulo: relatório de pesquisa. Ipea: Rio de Janeiro, 2017. 36 p. Disponível em: <http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/relatoriopesquisa/20170217_relatorio_implementacao-estatuto.pdf>

O Relatório de Pesquisa é resultado do acompanhamento das adequações e dos processos em curso para a implementação do Estatuto da Metrópole na Região Metropolitana de São Paulo (RMSP), realizado até março de 2016. É um produto da parceria entre o Ipea e a Empresa Paulista de Planejamento Metropolitano (Emplasa). O documento analisa os aspectos centrais da atual estrutura institucional e normativa da região com o objetivo de promover o levantamento dos arranjos institucionais de gestão metropolitana exigidos pelo Estatuto da Metrópole e compará-los com as principais instâncias e mecanismos de planejamento e gestão metropolitana existentes. A pesquisa aborda a atual estrutura institucional e normativa da RMSP, os instrumentos de planejamento e gestão, os mecanismos e instrumentos de financiamento da gestão metropolitana, e os debates legislativos e judiciais sobre gestão metropolitana.

REGIÕES/REGIONALIZAÇÃO/METROPOLIZAÇÃO

Desenvolvimento Regional

MONTEIRO NETO, Aristides; CASTRO, César Nunes de; BRANDÃO, Carlos Antonio (Org.). Desenvolvimento regional no Brasil: políticas, estratégias e perspectivas. Rio de Janeiro: Ipea, 2017. 482 p. Disponível em: <http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/livros/livros/20170213_livro_desenvolvimentoregional.pdf>

Os textos reunidos nesta coletânea trazem, cada qual a seu modo, um olhar sobre o desenvolvimento regional brasileiro neste início de século XXI (2000-2015). Destacam avanços, pontos positivos e realizações da política pública no território nacional, com vistas ao desenvolvimento equilibrado. Retomam interpretações da formação do mercado nacional e o papel atribuído às regiões brasileiras. Interpelam as insuficiências, os obstáculos e os recuos manifestados nesse período. Apresentam ainda, novas propostas de políticas capazes de modificar, fazer avançar e/ou substituir algumas das já existentes e que demonstram poucos resultados concretos.

TRANSPORTES

Metroviário

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA. Condicionantes institucionais aos investimentos em infraestrutura no Brasil: sistema metroviário de Salvador e Lauro de Freitas - Relatório de Pesquisa. Ipea: Rio de Janeiro, 2017. 38 p. Disponível em: <http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/relatoriopesquisa/170222_rp_condic_inst_invest_infra_brasil_sist_metro_salvador_lauro_freitas.PDF>

O trabalho se insere em um conjunto de estudos que visam identificar os elementos de ordem institucional que impactam diretamente na capacidade de execução dos investimentos públicos e privados em infraestrutura. O subconjunto de projetos, objetos de pesquisa, incluídos no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) revela tais elementos a partir de aspectos intrínsecos a cada tipo de empreendimento, especialmente sua modalidade de execução (público e/ou privado). O objeto deste estudo em particular corresponde à construção da Linha 1 do metrô de Salvador, Bahia, em execução pela Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) e pela Companhia de Transportes de Salvador (CTS) e sua sucessora, a Companhia de Transportes da Bahia (CTB).

 

Projetos/ Pesquisas/ Estudos

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA. Construção da matriz origem-destino de transporte inter-regional de cargas e passageiros para o Plano Nacional de Logística Integrada: Relatório de Pesquisa - Desenho da pesquisa origem-destino do transporte rodoviário no Brasil (Relatório 1). Rio de Janeiro: Ipea, 2016. 56 p. Disponível em: <http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/relatoriopesquisa/20170209_rp_desenho-da-pesquisa-origem-destino-do-transporte.pdf>

O relatório faz parte de uma série de relatórios de pesquisa do Ipea, cujo objetivo é documentar o processo de construção das matrizes origem/destino (O/D) de transporte inter-regional de cargas e passageiros que subsidiaram a elaboração do Plano Nacional de Logística Integrada (PNLI), fruto da parceria entre a Empresa de Planejamento e Logística (EPL) e o Ipea, formalizada pelo Termo de Cooperação para Descentralização de Crédito no 2, de 29 de maio de 2013. O Relatório 1 descreve a metodologia utilizada para a elaboração da pesquisa de campo, mais especificamente, para determinar os segmentos da malha rodoviária onde deverão ser realizadas as entrevistas, a definição dos horários e período de entrevista em cada segmento, o número esperado de entrevistas e as perguntas básicas que devem constar nos questionários. Além destas questões metodológicas, são apresentados os respectivos resultados. A pesquisa de campo servirá como complemento às bases de dados socioeconômicos que serão utilizados para estimar a matriz OD do transporte regional do Brasil.

 

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA. Construção da matriz origem-destino de transporte inter-regional de cargas e passageiros para o Plano Nacional de Logística Integrada: Relatório de Pesquisa - Construção da matriz origem-destino para transporte de cargas inter-regional (Relatório 2). Rio de Janeiro: Ipea, 2016. 42 p. Disponível em: <http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/relatoriopesquisa/20170109_rp_construcao-da-matriz-origem-destino.pdf>

Como parte da série de relatórios de pesquisa do Ipea, cujo objetivo é documentar o processo de construção das matrizes origem/destino (O/D) de transporte inter-regional de cargas e passageiros que subsidiaram a elaboração do Plano Nacional de Logística Integrada (PNLI), este Relatório 2 descreve os procedimentos para os tratamentos dos dados da pesquisa de  campo, para criar uma base que gerará a matriz OD do transporte de cargas no Brasil. As análises foram realizadas em duas fases: a primeira com o objetivo de testar a metodologia e a segunda para gerar a matriz final.

 

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA. Construção da matriz origem-destino de transporte inter-regional de cargas e passageiros para o Plano Nacional de Logística Integrada: Relatório de Pesquisa - Modelos de regressão para geração e atração de viagens do transporte de cargas inter-regional (Relatório 3). Rio de Janeiro: Ipea, 2016. 36 p. Disponível em: <http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/relatoriopesquisa/170104_relatorio_pesquisa_modelos-de-regressao.pdf>

O presente Relatório 3, parte da série de relatórios de pesquisa do Ipea, cujo objetivo é documentar o processo de construção das matrizes origem/destino (O/D) de transporte inter-regional de cargas e passageiros que subsidiaram a elaboração do Plano Nacional de Logística Integrada (PNLI), apresenta a aplicação do método estatístico utilizado para correlacionar o número de viagens com variáveis socioeconômicas. Esse processo se insere no do modelo clássico para planejamento de transportes: i) geração; ii) distribuição; iii) repartição modal; e iv) alocação. Seu objetivo é identificar as variáveis socioeconômicas que possam explicar a quantidade de viagens geradas e atraídas para cada zona de tráfego. Essas relações permitem estimar a quantidade de viagens futuras e os resultados das regressões serão abordados nos próximos relatórios.

 

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA. Construção da matriz origem-destino de transporte inter-regional de cargas e passageiros para o Plano Nacional de Logística Integrada: Relatório de Pesquisa - Modelos de distribuição para matriz origem-destino de transporte de cargas inter-regional: desenvolvimento de um conjunto de ferramentas e calibração inicial (Relatório 4). Rio de Janeiro: Ipea, 2017. 40 p. Disponível em: <http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/relatoriopesquisa/20170217_relatorio_rel4_modelos.pdf>

Parte da série de relatórios de pesquisa do Ipea, cujo objetivo é documentar o processo de construção das matrizes origem/destino (O/D) de transporte inter-regional de cargas e passageiros que subsidiaram a elaboração do Plano Nacional de Logística Integrada (PNLI), este Relatório 4 apresenta o processo de desenvolvimento de um conjunto de ferramentas computacionais para a calibração de modelos de distribuição de viagens do tipo gravitacional e dos resultados preliminares dessa calibração.

 

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA. Construção da matriz origem-destino de transporte inter-regional de cargas e passageiros para o Plano Nacional de Logística Integrada: Relatório de Pesquisa -  cenários de projeção das atividades econômicas por UF para a projeção da matriz origem-destino de transporte de cargas inter-regional (Relatório 5). Brasília: Ipea, 2017. 98 p. Disponível em: <http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/relatoriopesquisa/170324_cenarios_projecao_atividades_economicas_uf_projecao.pdf>

O Relatório 5, parte da série de relatórios de pesquisa do Ipea, cujo objetivo é documentar o processo de construção das matrizes origem/destino (O/D) de transporte inter-regional de cargas e passageiros que subsidiaram a elaboração do Plano Nacional de Logística Integrada (PNLI), discute a influência dos dados de população e renda na atração de viagens de carga, a exemplo de variáveis relacionadas ao consumo, e dos dados de atividades produtivas nas viagens de passageiros. São propostas projeções de consumo e produção para a elaboração da matriz O/D de cargas para um horizonte de 22 anos – isto é, até 2035.

 

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA. Construção da matriz origem-destino de transporte inter-regional de cargas e passageiros para o Plano Nacional de Logística Integrada: Relatório de Pesquisa - Construção da matriz origem-destino observada de transporte de passageiros inter-regional (Relatório 6). Brasília: Ipea, 2017. 26 p. Disponível em: <http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/relatoriopesquisa/170221_relatorio_pesquisa_const_matriz_orig_dest_transp_inter_reg_cargas_rel_6.PDF>

O Relatório 6, também parte da série de relatórios de pesquisa do Ipea, cujo objetivo é documentar o processo de construção das matrizes origem/destino (O/D) de transporte inter-regional de cargas e passageiros que subsidiaram a elaboração do Plano Nacional de Logística Integrada (PNLI), descreve os procedimentos para os tratamentos dos dados da pesquisa de campo, os quais foram realizados com objetivo de criar uma base que gerará a matriz origem/destino observada do transporte de passageiros no Brasil.

 

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA. Construção da matriz origem-destino de transporte inter-regional de cargas e passageiros para o Plano Nacional de Logística Integrada: Modelos de regressão para geração e atração de viagens de passageiros (Relatório 7). Brasília: Ipea, 2017. 30 p. Disponível em: <http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/relatoriopesquisa/170221_relatorio_pesquisa_const_matriz_orig_dest_transp_inter_reg_cargas_rel_7.PDF>

Este Relatório 7, parte da série de relatórios de pesquisa do Ipea, cujo objetivo é documentar o processo de construção das matrizes origem/destino (O/D) de transporte inter-regional de cargas e passageiros que subsidiaram a elaboração do Plano Nacional de Logística Integrada (PNLI), que baseado nos procedimentos descritos no Relatório 6, apresenta a aplicação do método estatístico utilizado para correlacionar o número de viagens com variáveis socioeconômicas.

 

Rodoviário

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA. Condicionantes institucionais aos investimentos em infraestrutura no Brasil: o caso do BRT Sul do DF - Relatório de Pesquisa. Ipea: Brasília, 2016. 62 p. Disponível em: <http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/relatoriopesquisa/120105_relatorio_pesquisa_cond_inst_invest_infra_brasil_caso_brt_sul_do_df.pdf>

O estudo de caso do BRT Sul (bus rapid transit) do Distrito Federal (DF) se insere em um contexto mais amplo de pesquisa que busca a compreensão aprofundada dos condicionantes institucionais à execução de obras de infraestrutura no Brasil contemporâneo. O objetivo do projeto é buscar explicações para seu lento ritmo de execução, apesar do aumento no investimento público. Para isso, foi necessário apontar e avaliar inovações institucionais voltadas para a superação de possíveis constrangimentos na execução dos projetos, utilizadas pelos setores público e privado. A metodologia usada foi o estudo comparativo de seis obras brasileiras de infraestrutura de grande porte. Inserido em tal contexto de investigação, este estudo específico do caso do BRT Sul do DF permite um melhor entendimento de aspectos relacionados a obras com duas características definidoras do investimento em infraestrutura no Brasil: incluídas no eixo de investimento social-urbano, e de execução na modalidade pública e descentralizada.

URBANISMO

Plano Diretor Estratégico

CONSEJO DE ALCALDES DEL AREA METROPOLITANA DE SAN SALVADOR; OFICINA DE PLANIFICACIÓN DEL AMSS. Plan Estratégico COAMSS/OPAMSS 2016-2020. San Salvador: COAMSS/OPAMSS, dic. 2015. 42 p. Disponível em: <api.gobiernoabierto.gob.sv/documents/137489/download>

O documento contém o Plano Estratégico do Consejo de Alcaldes del Área Metropolitana de San Salvador e seu corpo técnico, a Oficina de Planificación del AMSS (COAMSS/OPAMSS) para o período 2016-2020. Inclui em sua primeira parte uma breve referência ao marco institucional e instrumentos de gestão do COAMSS/OPAMSS. Na segunda parte, apresenta a exposição técnica do processo metodológico do planejamento, e na terceira parte, a análise do contexto do trabalho institucional em suas principais áreas temáticas. Apresenta ainda a definição dos elementos do novo pensamento estratégico institucional, constituído principalmente pela visão, missão, meta, áreas e objetivos estratégicos, além de uma proposta de reorganização temática das políticas metropolitanas.

 

CONSEJO DE ALCALDES DEL AREA METROPOLITANA DE SAN SALVADOR. Plan Estratégico COAMSS 2003-2013 y sus readecuaciones COAMSS/OPAMSS 2008 y 2012. San Salvador: COAMSS/OPAMSS, [200-?]. 47 p.

A publicação é fruto do projeto “Fortalecimiento Institucional en el Área Metropolitana de San Salvador para la Cohesión Social y Seguridad Ciudadana, Fase III” realizado pelo Consejo del Alcaldes e Oficina de Planificación del Área Metropolitana de San Salvador. Desenvolvido nos 14 municípios da região, o projeto objetiva melhorar as condições sociais, políticas, culturais e territoriais por meio de uma melhor gestão pública metropolitana, melhorando a qualidade de vida da população. O documento contém o Plano Estratégico 2003-2013, e as propostas de readequação de 2008 e 2012. Acompanha cadernos temáticos das políticas públicas metropolitanas.

 

CONSEJO DE ALCALDES DEL AREA METROPOLITANA DE SAN SALVADOR. Política ambiental. San Salvador: COAMSS/OPAMSS, 2010. 46 p. 

Parte do projeto “Fortalecimiento Institucional en el Área Metropolitana de San Salvador para la Cohesión Social y Seguridad Ciudadana, Fase III”, o caderno Política Ambiental integra as Políticas Públicas Metropolitanas do Plano Estratégico da Região Metropolitana de San Salvador. Busca a prevenção, proteção e recuperação do ambiente, o aproveitamento sustentável dos recursos naturais, a eficiência na gestão de resíduos sólidos e uso do solo.

 

CONSEJO DE ALCALDES DEL AREA METROPOLITANA DE SAN SALVADOR. Política de movilidad urbana. San Salvador: COAMSS/OPAMSS, 2010. 42 p. 

Parte do projeto “Fortalecimiento Institucional en el Área Metropolitana de San Salvador para la Cohesión Social y Seguridad Ciudadana, Fase III”, o caderno Política de Movilidad Urbana integra as Políticas Públicas Metropolitanas do Plano Estratégico da Região Metropolitana de San Salvador. Busca estabelecer um sistema de mobilidade integral, acessível, seguro e eficiente, que seja sustentável e amigável com o meio ambiente, com atenção aos grupos com necessidades especiais. Procura a revitalização econômica e urbanística dos centros históricos deteriorados devido à ineficiente sistema de transporte e gestão.

 

CONSEJO DE ALCALDES DEL AREA METROPOLITANA DE SAN SALVADOR. Política de desarrollo urbano y territorial. San Salvador: COAMSS/OPAMSS, 2010. 66 p. 

Parte do projeto “Fortalecimiento Institucional en el Área Metropolitana de San Salvador para la Cohesión Social y Seguridad Ciudadana, Fase III”, o caderno Política de Desarrollo Urbano y Territorial integra as Políticas Públicas Metropolitanas do Plano Estratégico da Região Metropolitana de San Salvador. Busca um modelo de cidade inclusiva e diversa, com oportunidades de desenvolvimento e inclusão social aos grupos mais vulneráveis da região, financeiramente e ambientalmente sustentável. Essa política inclui também a participação pública envolvendo os diferentes atores sociais da cidade.

 

CONSEJO DE ALCALDES DEL AREA METROPOLITANA DE SAN SALVADOR. Política de espacios públicos. San Salvador: COAMSS/OPAMSS, 2010. 40 p. 

Parte do projeto “Fortalecimiento Institucional en el Área Metropolitana de San Salvador para la Cohesión Social y Seguridad Ciudadana, Fase III”, o caderno Política de Espacios Públicos integra as Políticas Públicas Metropolitanas do Plano Estratégico da Região Metropolitana de San Salvador. Trata-se da criação de uma nova visão do espaço público por meio de ações que contribuem na conservação e ampliação dos mesmos, protegendo as áreas naturais e o sistema hidrográfico. Além da revitalização dos espaços procura-se a incorporação de novos equipamentos culturais e espaços não tradicionais, buscando fortalecer a participação cidadã e a coesão social.

 

CONSEJO DE ALCALDES DEL AREA METROPOLITANA DE SAN SALVADOR. Política de cohesión social y convivencia ciudadana para la prevención de violencia. San Salvador: COAMSS/OPAMSS, 2010. 38 p. 

Parte do projeto “Fortalecimiento Institucional en el Área Metropolitana de San Salvador para la Cohesión Social y Seguridad Ciudadana, Fase III”, o caderno Política de Cohesión Social y Convivencia Ciudadana para La Prevención de Violencia integra as Políticas Públicas Metropolitanas do Plano Estratégico da Região Metropolitana de San Salvador. Busca estimular a participação dos cidadãos com o fortalecimento de valores e princípios democráticos e de convivência social de forma a prevenir a violência. Visa promover a educação cidadã e o acesso à justiça, bem como melhorar a legislação municipal e modernizar as instituições para aprimorar os serviços e a transparência.

 

CONSEJO DE ALCALDES DEL AREA METROPOLITANA DE SAN SALVADOR. Política marco para la protección integral de los derechos de la niñez, adolescencia y el reconocimiento de los derechos de la juventud del Área Metropolitana de San Salvador. San Salvador: COAMSS/OPAMSS, 2010. 50 p. 

Parte do projeto “Fortalecimiento Institucional en el Área Metropolitana de San Salvador para la Cohesión Social y Seguridad Ciudadana, Fase III”, o caderno Política Marco para la Protección Integral de los Derechos de la Niñez, Adolescencia y el Reconocimiento de los Derechos de la Juventud integra as Políticas Públicas Metropolitanas do Plano Estratégico da Região Metropolitana de San Salvador. Trata-se da criação de instâncias e instrumentos municipais que contribuam com o fortalecimento de políticas para crianças e adolescentes. O objetivo é a busca de ações que proporcionem ao setor aspectos vitais como educação, saúde, seguridade, proteção, arte, cultura, esporte e recreação.

 

CONSEJO DE ALCALDES DEL AREA METROPOLITANA DE SAN SALVADOR. Política para la equidad de género de las mujeres en el Área Metropolitana de San Salvador. San Salvador: COAMSS/OPAMSS, 2010. 50 p. 

Parte do projeto “Fortalecimiento Institucional en el Área Metropolitana de San Salvador para la Cohesión Social y Seguridad Ciudadana, Fase III”, o caderno Política para la Equidad de Género de las Mujeres integra as Políticas Públicas Metropolitanas do Plano Estratégico da Região Metropolitana de San Salvador. Visa fomentar o desenvolvimento e participação integral das mulheres nos municípios da região, buscando a igualdade real de gênero. As ações incluem: participação ativa da mulher na vida social e econômica, prevenção da violência de gênero, educação sexual e reprodutiva, e educação para prevenção de situações de risco e emergências.